Podcast 32# Síndrome colinérgica

Lançado 27/09/2019

No episódio 32, o Dr. Julio Marchini e o Dr. Vinicius Correia falam sobre a síndrome colinérgica. O Dr. Vinicius Correia é preceptor da divisão de Emergências Clínicas do HCFMUSP. Como você identifica um paciente com síndrome colinérgica? Qual o melhor manejo?

Notas do show:

Link da imagem: tiny.cc/kuwgdz

● Carbamato ou Organofosforado (OF)= ATROPINA (antagoniza receptores muscarínicos)
● OF (casos moderados ou graves)= ATROPINA + PRALIDOXIMA (quebra as ligações do OF a AchE).
● ATROPINA: EFETIVA APENAS PARA SINTOMAS MUSCARÍNICOS
○ Ampola (1ml): 0,25mg ou 0,5mg.
○ Bôlus: 2-5mg EV a cada 3-5min até sinais de atropinização
○ BIC: 10 mg (1mg/h) = 20 ampolas de 0,5mg / 80ml SF, iniciando com 10ml/h
○ SINAIS DE ATROPINIZAÇÃO
-Permeabilidade traqueobronquial (ausculta pulmonar)
-Ressecamento de secreções (salivação e sudorese)
-Rubor facial
-Agitação e confusão
● PRALIDOXIMA: EFETIVA APENAS PARA SINTOMAS NICOTÍNICOS
○ Nunca administrá-la sem a atropina, pois pode piorar transitoriamente os sintomas colinérgicos.
○ Unica maneira de prevenir os sintomas tardios.
○ Bolus: 30mg/kg EV lentamente (em 30min).
○ Manutenção: 8mg/kg/h
○ Em geral, permanece por dias. Guiar pela melhora clínica e pela acetilcolinesterase sérica.

Referências:
● OMS
● AACT (American Academy of Clinical Toxicology)
● ACMT (American College of Medical Toxicology)
● EAPCCT (European Association of Poisions Centres and Clinical Toxicologists)

Este podcast é oferecimento do Curso de Medicina de Emergência da USP em parceria com a Manole Educação. Saiba mais.

Se você gosta do nosso podcast por favor nos avalie no iTunes. Mande feedback para [email protected]


Siga-nos nas redes sociais:

Dr. Vinicius Correia está no Instagram (@viniciusmcorreia), e no Facebook (@vinicius.machadocorreia).
Dr. Julio Marchini está no Facebook (@Jfmarchini), no Instagram (@dr.juliomarchini) e no Twitter (@jfmarchini).
A manole está no Instagram em @oficialmanole.

Dr. Vinicius Correia

preceptor da divisão de Emergências Clínicas do HCFMUSP