Simulação é parte fundamental da formação de residentes. Na hora da atuação efetiva em pacientes, residentes que treinaram em simulação vão proporcionar cuidado com mais segurança.

Existem várias modalidades de simulação desde simulação em vídeo e modelos, mas também o treinamento em cadáver. O cadáver nunca deve ser tratado como simples objeto de estudo e sim com todo o respeito merecido pelo que foi, com vínculos familiares e emocionais que teve em vida. No entanto, este tipo de treinamento é a forma mais realistica de simulação de procedimentos permitindo familiarização com os passos realizados.

Uma vez por mês os residentes terão acesso ao laboratório de anatomia para treinamento de procedimentos invasivos em cadáveres.

A lista de procedimentos inclui acesso venoso cirúrgico, acesso intraósseo, acesso venoso central, drenagem de tórax, pericardiocentese, artrocentese e via aérea cirúrgica.

O treinamento em cadáver é essencial para aprendizado e aperfeiçoamento da técnica, conferindo segurança para o paciente e qualidade para o serviço.